Caso você não consiga visualizar este e-mail, clique aqui.

  novembro 2012    
       
       
 

SAMG promove curso preparatório para o TSA

Prezando a capacitação dos profissionais de Minas Gerais para as provas do Título Superior de Anestesiologia (TSA), a SAMG promoveu, entre os dias 28 e 30 de setembro e 5 e 7 de outubro, o curso preparatório no Estado, em Belo Horizonte.

O curso contou com a participação de médicos mineiros, portadores do TSA, que abordaram cuidadosamente todos os tópicos exigidos no exame. "Os profissionais corresponderam às nossas expectativas", comentou a vice-presidente da SAMG, Dra. Michelle Nacur. "Também fiquei satisfeita com os médicos que ministraram as aulas, pois além do ótimo conteúdo apresentado, tinham didática de qualidade e bastante experiência prática nos assuntos abordados". O curso também foi uma alternativa para os profissionais mineiros, que agora não precisam recorrer a cursos em outros Estados para se prepararem.

A anestesiologista Roberta Ferreira Boechat, aprovada na prova escrita do TSA, afirma que as aulas contribuíram muito para a realização das avaliações. "O conteúdo é bastante atualizado, e representa uma maneira de estimular os estudos", diz a médica.

A estrutura do curso diferenciada foi aprovada pelo o médico Henrique Ruiz Costa, participante da turma. "Surpreendeu-me a programação, realizado de forma dinâmica e que contempla todos os temas cobrados", comentou. "É uma nova alternativa para os profissionais mineiros de revisarem temas importantes e também de aprofundarem seus conhecimentos, estabelecendo esse contato próximo com os instrutores. Essa iniciativa é o reconhecimento do esforço dos médicos pela excelência na formação profissional", finaliza.

 

 

Fotos: Isabella Antunes

 
           
       
 

9º Congresso Brasileiro
de Anestesiologia

Com o objetivo de promover um amplo diálogo de questões relacionadas aos desafios da especialidade, a Sociedade de Anestesiologia de Minas Gerais (SAMG), em parceria com a Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA), realizou entre os dias 23 e 27 de outubro, o 59º Congresso Brasileiro de Anestesiologia (CBA), no Expominas, em Belo Horizonte.

O encontro atraiu diariamente cerca de 3000 congressistas, promovendo intercâmbio do conhecimento técnico entre os médicos por meio do tema "Desafiando os Dogmas". Este ano, o CBA preparou uma programação repleta de atrações especiais. O coquetel de abertura, ocorrido no dia 23, contou com a presença de autoridades e profissionais da saúde de renome internacional.

Para encerrar, a banda mineira Skank apresentou os maiores sucessos da carreira. Na programação científica, os debates abordaram temas como obstetrícia e anestesia, pacientes críticos, obesidade, cirurgia bariátrica, complicações perioperatórias, mortalidade em anestesia, neurologia, dor crônica, dentre outros. De acordo como o presidente da SAMG, Dr. Jaci Custódio, o Congresso ascendeu o debate sobre os últimos avanços e descobertas da área. "Nesta edição, demos enfoque em temas que estão presentes no dia a dia dos médicos, com ênfase na experiência clínica e na reflexão dos dogmas que rodeiam a especialidade", avalia.

 

 
Presidente da Sociedade de Anestesiologia de Minas Gerais, Dr. Jaci Custódio


Fotos: Marco Aurélio Lara

 
           
 

Novidades do CBA

Uma das novidades do encontro foi o lançamento nacional do anestésico inalatório Desflurano, desenvolvido para reduzir os efeitos colaterais causados pelos métodos tradicionais.

Segundo o presidente da Sociedade de Anestesiologia de Minas Gerais, Dr. Jaci Custódio, a nova técnica permite que o paciente atinja o grau de sedação necessário mais rápido e desperte num estado geral melhor, sem os efeitos colaterais comuns do pós-operatório.

Apesar de mais segura e indicada, a novidade ainda depende da autorização dos planos de saúde para que os usuários se beneficiem dela.

Um equipamento capaz de monitorar o estado de consciência do paciente sob efeito de anestesia geral ou sedação também foi destaque no evento. O Recall consegue avaliar se a pessoa que está sendo operada está totalmente inconsciente, além de diminuir os riscos de o paciente despertar ou escutar o que se passa dentro do bloco cirúrgico.

 

Paralisação

Com o objetivo de denunciar os abusos cometidos pelas operadoras de plano de saúde e protestar contra a manutenção de um modelo varejista da saúde, médicos de todo o país realizaram uma paralisação nacional, entre os dias 10 e 18 de outubro.

Além de ser sustentado, principalmente, na desvalorização médica no desrespeito com o paciente, o modelo praticado por essas operadoras cria obstáculos para realização de procedimentos como, por exemplo, internação e exames, prejudicando diretamente os pacientes.

Dados da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) mostram que existe um descompasso entre o lucro das operadoras e os honorários repassados aos profissionais. A receita das operadoras cresceu 192 % entre 2003 e 2011, enquanto a média do valor da consulta aumentou apenas 65% no mesmo período.


 

Suspensão de comercialização
de planos

Durante o primeiro semestre deste ano, a ANS registrou oito mil reclamações contra operadoras de planos de saúde, evidenciando a insatisfação generalizada dos beneficiários.

Por isso, em menos de quatro meses, a ANS suspendeu por duas vezes a comercialização de planos de saúde espalhados por todo o território nacional. Na lista estão 301 planos de 33 operadoras de sáude. O lamentável desfecho é reflexo do descumprimento dos prazos máximos para atendimento de consultas, exames e cirurgias.

A reincidência da suspensão é prova de que o modelo vigente é insustentável, tanto para os médicos, quanto para os usuários. A Sociedade de Anestesiologia de Minas Gerais (SAMG) se recusa a ser conivente com tal abuso.

 

 

 

Conduta arriscada

A atividade de residentes no lugar de anestesiologistas em hospitais é uma conduta perigosa que deve ser rigorosamente combatida. Sob o ponto de vista médico-legal, é importante que o graduado se especialize e registre o seu diploma no Conselho Regional de Medicina (CRM).

A entidade condena a contratação desqualificada, e recomenda com rigor a obtenção do título. Com o registro, o médico está respaldado a exercer a sua função acobertado pelo CRM. Além disso, ele pode evitar processos judiciais decorrentes de erro médico, que se divide em imprudência, negligência e imperícia.

A imperícia é o erro mais iminente, pois expõe o paciente a riscos, provocando lesões que não ocorreriam nas mãos de um profissional especializado. A Sociedade de Anestesiologia de Minas Gerais (SAMG) está preocupada com esta lamentável situação, e promove reuniões visando mudar o triste cenário da saúde em Minas. É preciso paralisar imediatamente esse tipo de contratação, antes que o preço saia alto demais.

 
           
Sociedade de Anestesiologistas de Minas Gerais
Rua Eduardo Porto, 575 - Cidade Jardim - Belo Horizonte- Minas Gerais - CEP 30.380-060 Telefax: (31) 3291-0901